República para Idosos

República para Idosos – Vantagens e Desvantagens

As repúblicas para idosos ou simplesmente república para terceira idade podem ser mistas (Homens e Mulheres) ou unissex – depende da índole (facilidade ou não de conviver em grupo)  das pessoas que vão montar uma república e precisa um planejamento e análise mais aprofundado.

 

banner republica para idosos em belo horizonte

idosos-saudaveis-república - Idosos precisam de amigos, companhia, a república é a solução de quase todos os problemas que o idoso enfrenta
República para Idosos ou Terceira Idade

Segundo estatísticas existe no Brasil cerca de 3 milhões de pessoas da terceira idade vivendo sozinhas. Conforme vamos discorrer aqui, o custo de viver sozinho é elevado, e enquanto o idoso tem independência física e financeira ele suporta este custo, mas depois com o passar do tempo, a aposentadoria não basta e os rendimentos paralelos vão sendo consumidos nos custos de viver, fora outros problemas que podem surgir no percurso do caminho do envelhecer.

Hoje, no Brasil e no Mundo para algumas pessoas, ser idoso, pertencer a tão famosa MELHOR IDADE, simplesmente terceira idade é caro, é oneroso, é difícil não só financeiramente, mas também emocionalmente, pois a solidão com o tempo vai tomando conta e cai-se na depressão e quando isto acontece outras doenças se somam a ela e no fim – o barato e gostoso de morar sozinho fica muito caro para o idoso e para a familia.

Então vamos pensar na possibilidade de pequenos grupos montar repúblicas para viver juntos, como no famoso filme E se vivéssemos todos juntos.

Primeira exigência de uma República é que tenha LIDERANÇA – alguém é o que manda e coloca ordem na casa. Se não houver liderança o projeto está morto antes de nascer.

Há alguns meses uma pessoa entrou em contato comigo para sugerir que estudássemos uma maneira de montar repúblicas para idosos.

Da minha parte achei uma sugestão maravilhosa que traria soluções para muitos problemas que pessoas da terceira idade enfrentam no mundo de hoje.

Entre estas soluções estariam:

Convivência entre idosos – que estimularia atividades sociais como passeios, ir a bailes da terceira idade que tem aos montes na cidade de São Paulo, mas mesmo querendo ir, muitas vezes falta companhia que garanta segurança numa aventura assim durante a noite. Também possibilitaria viagens em grupos e conversas no ambiente da casa.

Redução dos custos de viver – como escrevi em outro artigo – custos de viver na terceira idade – numa república os custos de aluguel, água, luz, internet, faxineira ou empregada podem ser divididos entre as pessoas moradoras no local. Pelo que li em repúblicas já implantadas a alimentação fica a cargo de cada moradora. Eu sugeriria para maior economia que a alimentação fosse custeada em grupo. Uma pessoa sozinha gasta mais do que duas juntas. E isto não é impossível basta planejar juntas todas as compras e duas pessoas irem às compras e solicitar o supermercado para fazer as entregas. Com certeza a economia seria surpreendente e evitaria o desconforto de algumas de comer algo na frente de outras sem oferecer.

Companhia e apoio entre si para visitas a médicos, exames de laboratório e outras necessidades de saída, quando o idoso de fato não pode estar indo sozinho, e muitas vezes não pode estar impondo esta tarefa a filhos que precisam trabalhar e manter suas próprias famílias.

Solidão, depressão – são problemas da maioria dos idosos que vivem sozinhos, longe de filhos, netos, irmãos e que perderam os amigos por morte ou porque se mudou há muito tempo para outras cidades e nunca mais voltou a sua cidade de origem. A solidão leva para a depressão reativa e não existe antidepressivo que cure este tipo de solidão, porque ela não é causada por uma fantasia ou doença mental, mas sim por uma realidade que o idoso passa a viver do momento que perde seu companheiro ou companheira e os filhos saíram todos para trabalhar, se casaram e mudaram e na vida corrida muitas vezes nem tem tempo de visitar a mãe ou pai (preferimos pensar assim – falta de tempo), mas nós sabemos que os motivos reais são outros que não vou comentar aqui.

 

ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DE UMA REPÚBLICA PARA IDOSOS IMPLEMENTADA PELAS PRÓPRIAS PESSOAS, SEM BUSCAR AJUDA DE SERVIÇO PÚBLICO.

Como assim?

4 ou 5 pessoas ou mais resolvem implantar uma república para si mesmos, de acordo com o seu próprio nível de vida, pois as pessoas precisarão ter os mesmos objetivos.

Quanto custa uma pessoa viver sozinha, tirando fora custos médicos, remédios e lazer ou necessidade de cuidadores – vamos imaginar um grupo de saúde média, capazes de cuidar da própria higiene e alimentação.

  • Moradia – um apto pequeno de 1 quarto, sala, cozinha, banheiro, lavanderia – em São Paulo custa em média R$ 1200,00 (num bairro longe) – Condomínios média R$ 300,00 a 400,00;
  • Luz – para uma pessoa sozinha média hoje se fizer economia – R$ 80,00
  • Internet , TV, telefone fixo – média de preço da Net-Virtua ou Vivo – R$ 150,00
  • Faxineira uma vez por semana – R$ 150,00 – total R$ 600,00
  • Supermercado para uma pessoa – alimentos não perecíveis (arroz, feijão, óleo, café, leite em pó, açúcar, adoçante, bolachas, macarrão, maça de tomate, produtos em conserva como ervilhas, picadinhos e outros), produtos de higiene e limpeza – papel higiênico, cândida, detergente, sabão em pós, removedores, desinfetantes para banheiros, etc) – custo: R$ 400,00 por mês.
  • Compras de feiras e açougue: verduras, carnes, pão, bolachas, biscoitos etc = R$ 300,00

Somando tudo – R$ 1200,00 + R$ 400,00 + R$ 80,00 + R$ 150,00 + R$ 600,00 + R$ 400,00 + R$ 300,00 = total de custos para uma pessoa viver com relativo conforto – sem festas, passeios, viagens e companhia = R$ 3130,00.

Desta relação toda, se o idoso for bastante saudável pode tirar o custo de faxineira = (menos R$ 600,00). Mas o restante não tem como dispensar.

Se você tiver casa própria pode tirar R$ 1200,00 do aluguel e 400,00 de condomínio (menos R$ 1000,00).

Total da economia para quem tem casa própria e boa saúde = R$ 1600,00. Mas você ainda fica tendo um custo de cerca de R$ 1800,00 ou R$ 2.000,00 com alguma eventual despesa. Tudo isto está sendo avaliado com cortes de remédio, planos de saúde, lazer.

Custos de uma república de 4 pessoas vivendo juntas em uma casa de 3 quartos e 2 banheiros:
custo-vida-idoso

 Você economizou R$ 2.000,00 que poderá investir em viagens, passeios, vida.

 Nesta mesma casa se todas estiverem dispostas a dividir quarto – 2 em cada quarto – teremos 6 pessoas e os custos no máximo será acrescido de R$ 600,00 de alimentos, porque como diz o bom mineiro, onde come 2 come 3 e onde come 5 come 6. Então,  se pegarmos R$ 4950,00 + 600,00 – total de custos para 6 pessoas -R$ 5560,00 vamos arredondar para R$ 5.600,00 dividido por 6 – custos para cada morador = R$ 933,00 para cada – vamos arredondar para cima – R$ 6000,00 total de despesas = R$ 1000,00 cada uma das pessoas da república.

 Você economizou R$ 2300,00 que pode investir para o futuro.

banner republica para idosos em belo horizonte

MORAL DA HISTÓRIA – VIVER SOZINHA(O) COM RELATIVO CONFORTO, MAS EM TOTAL SOLIDÃO CUSTA R$ 3.130,00.

 Morar em uma república com 4 pessos  custa : R$ 1.237,00 por pessoa – arredondando para cima R$ 1.500,00

Morar em uma república com 6 pessoas e menos conforto de privacidade – dividindo quarto, custo R$ 1.000,00.

amigos-para-sempre-204
Ser feliz na terceira idade é ainda ter amigos

 

QUAIS AS DIFICULDADES DE IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROJETO DE REPÚBLICA?

 

Primeira dificuldade: INDIVIDUALISMO – nos tempos atuais o individualismo grita mais alto que qualquer outro sentimento; as pessoas mesmo na velhice e na dependência não querem dividir espaço nem com filhos quanto mais com estranhos. Está é a primeira e a maior das dificuldades. Quem não sabe dividir espaços, dividir a vida, as responsabilidades, não pode morar em república – seja esta república para idosos ou jovens.

República é divisão de direitos e deveres – recebe-se um benefício,  mas tem que contrapor com responsabilidades, cotas de pagamento conforme tenha sido estipulado e respeito às regras. Uma das regras principais ou proibições é não trazer parceiros de sexo ou amorosos para conviver no ambiente da república.

 

Segunda dificuldade: CONHECIMENTO E ENTROSAMENTO – antes de partir para uma república, as pessoas precisam se conhecer bem: – encontrar-se em bares, restaurantes, parques, se visitarem, ter longas conversas, entre o grupo de pessoas que estão interessas em conviver, talvez buscar orientação de uma GERONTÓLOGA, PSICÓLOGA OU SOCIÓLOGA para tudo dar certo.

 

Terceira dificuldade: AS PESSOAS DO GRUPO precisam cada uma ter renda semelhante e que cubra as despesas, sobrando algum rendimento suficiente para suas despesas particulares com plano de saúde, remédios, passeios eventuais, compra de roupas, maquiagem, e produtos de higiene PESSOAL.

 

Quarta dificuldade: AS PESSOAS PRECISAM TER IDADES COMPATÍVEIS – como idade mínima de 55 anos e máxima de 75 e nenhuma ter deficiência cognitiva (demência ou Alzheimer) e nem deficiência física como a de se locomover sozinha, cuidar de sua higiene e alimentar-se por si mesmo.

 

MAS SE ALGUÉM ADOECER?

  •  Se for uma doença corriqueira, como gripes, resfriados, pneumonias, hipertensão, etc – as amigas devem dar o suporte na fase aguda, ajudando no que puder porque foi para isto que a república foi criada: ajuda mútua financeira e nas dificuldades e no lazer. Mas tudo vai depender do grupo, se os amigos se colocarem com disposição para enfrentar a alegria e a dor, a saúde e a doença, tudo bem e isto seria o certo, porque é na hora da dor que precisamos mais dos amigos.
  • Doenças graves – câncer, cirurgias complexas, Alzheimer, quedas que reduz a mobilidade e  mantém paciente no leito, e outras doenças consuntivas que exijam cuidados pessoais – a família precisa ser convocada para dar apoio – contratando cuidadores ou levando para uma casa de repouso ou clínica.
  • ESTES POSSÍVEIS EVENTOS PRECISAM ESTAR BEM CLAROS EM UM CONTRATO COLETIVO, NA HORA DE CRIAR UMA REPÚBLICA.
  • Também deve estar claro que no caso de uma das participantes ir embora, por doença, morte, ou insatisfação, as remanescente arcarão com os custos até se encontrar uma pessoa com qualificações para ocupar a vaga.

 

CONCLUSÃO

Escrevi este texto,  porque desde que aquela pessoa me contatou e propôs o assunto, venho vasculhando a internet para saber de outros projetos e o que vejo?

  • Projetos mantidos por prefeituras,  mas sempre com longas esperas – só quando morre alguém, outro será aceito.
  • A estrutura mostra (foi assim que entendi) que a pessoa tem moradia, água, luz etc, e paga um residual que não lhe dá direito à alimentação, portanto, fica um VAZIO. O idoso precisa se alimentar e alimentar bem para manter saúde.
  • Não vi nas repúblicas existentes um plano de seleção de pessoas para a república, onde os que já estão lá possam optar se aceitam ou não o novo COMPANHEIRO DE MORADIA.

Portanto, esta estrutura de divisão de custos de viver deve ser implementada pelas próprias pessoas que são interessadas.

Por este motivo – vou criar um sistema aqui no blog – você manda para mim, sua proposta de república e se eu achar sua proposta viável – publico – mas somente irei publicar depois que conversarmos via telefone.

OBSERVAÇÃO: Os custos que apresentei aqui são para um nível de vida de boa qualidade: ambiente seguro, casa ou apartamento de boa estrutura física (construção) e higiene, em um local de pessoas de nível social médio. E vai depender do grupo que planejar uma república o nível de conforto que desejam – que podem elevar ou baixar tais custos.

Os custos calculados aqui estão baseados no que meus filhos gastam para me manter confortavelmente em um apartamento, morando sozinha. Portanto, os custos apresentados não são aleatórios ou imaginados.

PARA ATENDER AO PÚBLICO QUE TEM ACESSADO ESTA PÁGINA – CRIAMOS UM FÓRUM PARA DISCUTIR ASSUNTOS PERTINENTES A REPÚBLICAS E CONDOMÍNIOS PARA TERCEIRA IDADE – CLIQUE AQUI E VISITE

Vejam um vídeo interessante da Tecnisa

ALGUNS LINKS PARA LEITURA

Mais artigos sobre República para a Terceira Idade

http://terceiraidade-loja.com.br/republica-para-terceira-idade-2/

http://terceiraidade-loja.com.br/republica-para-terceira-idade/

Repúblicas de jovens como funcionam?

http://pessoas.hsw.uol.com.br/republicas.htm

O Governo Canadense oferece moradia em repúblicas para terceira idade

http://www.portalterceiraidade.org.br/horizontais/noticias_cidadao/anteriores/anterior0149.htm

Casa dos artistas – modelo de república que poderia ser implantada com ajuda de Gerontólogos, Sociólogos e alguém que tenha dinheiro para investir e ter retorno em longo prazo.

http://www.portalterceiraidade.org.br/horizontais/noticias_cidadao/anteriores/anterior0113.htm

Em Santos a Prefeitura mantém uma república para idosos e soluciona problemas de solidão e carência de convivência com outras pessoas com problemas semelhantes, além de reduzir custos de vida.

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2012/11/em-santos-idosos-aliviam-solidao-e-mantem-vida-ativa-em-republicas.html

 

PROJETO DA TECNISA – para leitura

http://www.tecnisa.com.br/noticias/condominios-para-a-terceira-idade/475

http://www.tecnisa.com.br/press-releases/tecnisa-projeta-predios-com-consciencia-gerontologica/270

http://www.tecnisa.com.br/noticias/condominios-seadaptam-a-nova-vida-dos-idosos/414

Quem não quer preencher o formulário, mas quiser falar comigo

meu email – reginaceliatextos@gmail.com

meus celulares – 11-99846-8648 Tim

Regina Celia de Souza – 13 de fevereiro de 2016

PALAVRAS-CHAVE DESTE ARTIGO – terceira idade – terceiraidade – idoso, melhor idade, república de idosos, república para a terceira idade.