Custo de Vida do Idoso

Custo de Vida do Idoso junto da família
ou em uma Casa de Repouso

Hoje é dia de falar de Custo de Vida do Idoso assunto importantíssimo do ponto de vista do planejamento econômico do Idoso e de seus familiares

custo-de-vida-idosos

 

Tenho procurado ler o máximo que posso sobre o assunto Custo de Vida, sobre a MELHOR IDADE, IDADE FELIZ, e muitos nomes que dão para as classes de pessoas que sobreviveram aos inúmeros riscos da vida e chegaram aos mais de 60 anos.

Mas de fato o envelhecimento somente é prazeroso e pode ser chamado de MELHOR IDADE ou IDADE FELIZ por poucos, ou somente aqueles que chegaram à terceira idade com um bom respaldo financeiro advindo de aposentadoria, planos de investimentos em bens duradouros que possam lhe trazer rendimentos e garantias de uma vida tranquila.

 

A PREVIDÊNCIA SOCIAL E APOSENTADORIAS

Quando somos jovens não paramos para pensar em Custo de Vida. Assim foi minha turma na juventude, todos que ainda estão vivos, ou estão na faixa dos 60 anos ou dos 70 e naquela época, sempre imaginávamos que ao chegar a tão falada idade acima dos 60 estaríamos aposentados e felizes. Esta ideia travou de tal maneira outros investimentos paralelos que hoje pelo menos 70% das pessoas da minha idade vivem com parcos recursos vindos da Previdência Social e para melhor viver ou ainda precisam trabalhar para obter uma renda extra que complemente sua aposentadoria ou depender de filhos, genros e noras, o que muitas vezes, por mais que eles façam pelos seus pais, deixam o idoso constrangido e insatisfeito consigo mesmo. Sentir-se fracassado é um sentimento que dói no corpo, dói na alma.

O IDOSO QUE NÃO CONSEGUE SE MANTER SOZINHO SE SENTE FRACASSADO E INFELIZ

O idoso ao se tornar dependente de alguém seja física ou financeiramente a primeira coisa que ele perde é a autoestima. Considera-se um fracassado e fica olhando o passado e buscando os seus próprios erros. A segunda perda é da LIBERDADE DE DECIDIR POR SI MESMO.

MAS NEM SEMPRE ESTE IDOSO DE HOJE É UM FRACASSADO POR NÃO CONSEGUIR SE MANTER DE FORMA INDEPENDENTE – ELE TEVE UM PASSADO DE VITÓRIAS E CONQUISTAS – APENAS NÃO SOUBE POUPAR PARA A IDADE MADURA.

É a conjuntura toda do mundo, da tecnologia, das formas de viver e produzir que mudaram de cabeça para baixo. Mudanças que não esperávamos e que não conseguimos dominar tal sua velocidade.

Na década de  70 quando fui funcionária do INPS o teto de aposentadoria era de 20 salários mínimos e eu não sei quando baixou para um teto de 10 salários mínimos. Por outro lado, numa época de estabilidade econômica, 10 salários mínimos são 10 salários mínimos, mas em um país como o nosso que a economia tem altos e baixos – os mesmos 10 salários mínimos de ontem para efeitos de aquisição de produtos nem sempre são 10 salários, mas sim menos, devido à inflação.

Por outro lado, a Previdência Social nos reajustes anuais nem sempre reajusta o salário do aposentado por cima e sim por baixo o que possibilita que ao longo de 10 ou mais anos, estes 10 salários mínimos passem a ser 9, depois, 8 e depois 7 e eu já vi gente que se aposentou há 15 anos com 10 salários mínimos que hoje recebe o equivalente a 5 salários.

CONCLUSÃO: os recursos financeiros do aposentado médio está sempre a INVOLUIR e nunca EVOLUI ou aumenta de fato, de forma a cobrir suas necessidades crescentes.

 

custo-vida-idoso-grafico
custo de vida versus aposentadoria

 

 

O IDOSO TEM SEU CUSTO DE VIDA ELEVADO A CADA DIA POR DIVERSOS FATORES:

A saúde vai ficando precária e se ele não tem um plano de saúde, irá bancar consultas caras ou ficar na fila dos postos de saúde, que nem sempre são eficientes.

Se a saúde não vai bem – a quantidade de remédios que o idoso precisa cresce de forma exponencial, a cada dia se tem mais um vidro de comprimidos na mesa de cabeceira – e isto custa dinheiro, porque os postos de saúde oferecem os remédios básicos que todo mundo usa ou pode usar, mas remédios específicos, de lançamentos e de ponta ou se compra ou fica sem ele.

O idoso tem diabetes, tem colesterol alto, tem reumatismo e outras sequelas comuns à velhice, e para estas doenças são aconselhados – controle alimentar e exercícios. Daí, o diabético precisa de alimentos dietéticos que tem o preço elevado em até o dobro do mesmo alimento comum. O idoso com colesterol alto precisa comer carne magra e esta carne magra é cara, precisa de óleos e margarinas especiais e por ai vai.

 

ENTÃO O IDOSO CHEGA UM MOMENTO QUE POR PROBLEMAS DE SAÚDE FÍSICA OU MENTAL NÃO PODE MAIS MORAR SOZINHO

Chegado este momento, a família tem três caminhos para solucionar o impasse surgido:

  • Primeira opção: Um dos filhos leva o idoso para morar com ele
  • Segunda opção: Ter um velho em casa é problema – então, contrata uma empregada que nem sempre é suficiente e precisa também de uma cuidadora.
  • Terceira opção – buscar uma casa de repouso onde o idoso tenha uma assistência integral de 24 horas.

ANALISANDO OS CUSTOS DE TODAS AS OPÇÕES ACIMA

Primeira opção: um idoso em casa precisando de cuidados pessoais, inviabiliza alguém daquele grupo familiar para ir ao trabalho normalmente, e não é uma renúncia somente ao trabalho como também a perda da renda que advém do trabalho e até uma carreira fica perdida para cuidar do pai ou mãe.

Esta renúncia ao trabalho não envolve somente a perda de ganho financeiro, mas também ao TRAVAMENTO da carreira da referida pessoa, inviabilizando até sua aposentadoria no futuro. Então trazer o idoso para morar junto, este idoso precisa ser pelo menos independente nos seus cuidados pessoais de alimentação e higiene para que possa ficar sozinho por pelo menos 12 horas. Mas se ele, idoso, for um dependente físico e cognitivo, partimos para a segunda opção.

Segunda opção: Contratar uma empregada e uma cuidadora – pois pela lei – cuidadora não pode e nem deve fazer serviços domésticos, entretanto, o idoso precisa se alimentar, ter roupas lavadas e cama higienizada. Ele não precisa só de alguém que olhe por ele. Estas duas profissionais dentro de uma casa elevam os custos da família em pelo menos 5 a 6 mil reais, quando não mais.

Terceira opção: levar o idoso para uma casa de repouso onde ele tenha atendimento integral 24 horas. Pesquisando encontrei preços que variam de R$ 1999,00 para quartos compartilhados até R$ 6,000,00 para quartos individuais.

E o preço inclui: – alimentação, cuidados de higiene e enfermagem, hospedagem, entretanto, medicamentos, fraldões, material de curativos, consultas médicas, transportes para atendimento hospitalar são acrescidos ao preço. Portanto, um idoso numa casa de repouso pode custar de no mínimo R$ 3.000,00 até um valor que pode ser difícil de calcular, se o idoso estiver a necessitar de muitas idas a hospitais ou muitas consultas, se usar fraldão, se precisar de uma pessoa que o cuide de forma permanente e pessoal. Além destes custos, precisa-se imaginar que um IDOSO nunca pode estar a descoberto de um plano de saúde, e que estes para o idoso tem um custo superavaliado que varia de R$ 1.000,00 até R$ 3.000,00.

 

CONCLUSÃO:

Para ser um idoso FELIZ – e gozar a MELHOR IDADE – a pessoa precisa chegar à terceira idade com SAÚDE – MUITA SAÚDE FÍSICA E MENTAL – é muita, mas muita saúde FINANCEIRA – ter um respaldo financeiro advindo de outras fontes poupadas que não seja somente da PREVIDÊNCIA SOCIAL.

Se não for como escrevi no parágrafo anterior, a terceira idade feliz e plena é apenas LITERATURA e chavão de ANÚNCIOS DE COMERCIAIS.

De fato quanto custa viver uma terceira idade com problemas de saúde? Muito dinheiro. Um idoso com problemas sérios de saúde, seja um câncer, um reumatismo deformante, Alzheimer ou demência senil os custos de continuar vivo vão além de R$ 10.000,00 mensais.

E qual aposentadoria paga isto? A PREVIDÊNCIA SOCIAL? Não paga estes valores. A PREVIDÊNCIA PRIVADA que se poupa nos bancos? Também não, porque estas previdências tem um teto estipulado de pagamento além de TEMPO ESTIMADO PARA PAGAMENTOS – se você fez uma previdência para lhe cobrir dez anos de vida e viver 15 anos – os últimos 5 anos você estará a descoberto.

 

SOLUÇÃO PARA ESTE EMPASSE EXISTE?

Sim existe. O que a pessoa precisa é desde jovem tomar conhecimento do que a vida lhe reserva num futuro acima dos 60 anos ou na pior das hipóteses numa situação de perda da saúde por doença ou acidente e então, diante desta conscientização começar a poupar cedo – investir em bens duráveis e rendas garantidas.

Eu não estou qualificada para falar sobre estes sistemas – apesar da minha idade, não aprendi ao longo da vida, como ganhar dinheiro o suficiente para guardar e nesta situação temos 70% dos mais de 60 vivendo com precariedade.

A FELIZ IDADE fica reservada aos saudáveis física e financeiramente.

CONVIDO A TODOS PARA REFLETIR SOBRE ESTE MEU TEXTO.

LINKS PARA LEITURAS COMPLEMENTAR SOBRE O ASSUNTO

http://saopaulotimes.r7.com/sp/brasileiro-chega-a-3a-idade-sem-guardar-dinheiro/

 

Autora: Regina Célia de Souza – São Paulo, 12 de fevereiro de 2016

ATENÇÃO: Não faço cadastro de pessoas via whatsapp. O cadastro de candidatos a trabalhar via site tem uma rigorosa seleção. Siga as regras – preencha o formulário no final da página e aguarde os documentos a serem preenchidos. CLIQUE NO BANNER ABAIXO

cadastro-profissionais-beleza-saude. cadastro profissionais de saúde e beleza