Carência afetiva e doenças dos idosos

Carência afetiva e doenças dos idosos

e reprogramação mental

Qual a importância real que a Carência afetiva tem na vida, no comportamento social e no aparecimento de doenças nos idosos? Carência afetiva e doenças nos idosos tem muita relação, principalmente, depressão.

Resposta: A Carência afetiva tem muita importância.

A própria idade é um motivador de doenças consuntivas, do declinio da força física, da capacidade intelectual e do equilíbrio físico e  emocional.

Entretanto, estes males que advém pela idade podem ser retardados através de vários processos que devem ser praticados ao longo da vida e sistematizado quando a tal “melhor idade” ou terceira idade vai se aproximando. Veja que estes males podem ser retardado, mas não anulados, cedo ou tarde eles chegam em forma de senilidade.

Alguns comportamentos que prolongam ou adiam os grandes males da terceira idade, ou da velhice são:

  • Boa alimentação – a boa alimentação é saber comer o que realmente oferece vitaminas e sais minerais. Mas isto não deve ter seu começo na velhice  e sim ser prática desde a infância.
  • Exercícios físicos – estes não precisam ser de alto impacto, mas basta que a pessoa tenha uma vida de movimentos, como caminhar, dançar, fazer as lidas da casa (excelente exercício). Não precisa jogar basquete, futebol no campinho em finais de semana, nem enfrentar uma maratona de final de ano ou correr São Paulo de bicicleta. Estas práticas de exercícios pesados, a meu ver, sou leiga, são mais danosos aos sistemas corporais do que o  não fazer nada. O exercício continuo e diário é mais eficaz para conservar saúde.
  • Exercícios mentais – todo dia vejo na internet recomendação de joguinhos, palavras-cruzadas e outras atividades para conservar a mente e até alguns que garantem que vão recuperar problemas causados por derrrames ou Alzheimer.
  • Entretanto, vejo de outra forma, um tratamento de recuperação de um acidente vascular deve ser aplicado por profissionais especializados. Já a conservação das faculdades mentais ou da juventude de um cérebro que foi sempre sadio podemos fazer com boas leituras, escrevendo (e não precisa ser redator, escritor), basta passar para o papel as suas impressões do dia a dia, comentar um livro que foi lido, escrever um longo e-mail para uma amiga ou amigo, ou até namorado (hoje carta não se escreve mais). Mas se quiser pode mandar cartas. O email é passageiro, mas  a carta pode durar a vida inteira.
  • Os jogos, as brincadeiras, as palavras-cruzadas e muitos outros exercícios são uma ajuda.

O idoso que ficou deprimido, irritadiço, arredio, emocionalmente instável para se dizer, não irá recuperar-se através de atividades lúdicas. Ele precisa de mais:

  • Precisa do toque – nada é mais recuperante das forças que o toque. Todos nós já sabemos e está provado cientificamente que uma pessoa saudável ao tocar uma outra doente entrega-lhe parte de sua energia e que isto é benéfico.
  • Precisa de carinho – a pessoa da terceira idade, acaba ficando isolada de amigos, parentes, conhecidos por vários motivos como doenças, dificuldades de deâmbulação e outras vezes por dificuldades financeiras. Passear, divertir-se, ir a festas sempre envolve algum gasto.
  • Precisa de conversa – a troca de idéias, os filhos, os familiares dividir com o velho problemas que estão acontecendo em família, faz bem. Ele se sente vivo, participante. Pode ser que todos achem que seus conselhos são retógrados, mas ELE, o idoso, se sentirá útil.
  • Precisa que dividam com ele responsabilidades – mesmo que o velho tenha muitos problemas, é bom dar a ele algumas responsabilidades, como guardar os objetos de seu uso, ficar na sala cuidando das crianças enquanto os pais não chegam. Receber os netos na perua. Isto tem que ser avaliado, de como o velho em casa pode ser útil e o quanto de fato certas atividades serão convenientes. Não se pode dar ao velho atividades que ele não tem condições, como pegar o neto no colo, correr com as crianças no jardim, trocar o butijão de gaz, trocar a fiação elétrica etc.
  • Precisa ser conscientizado dos seus próprios problemas – por fim, o velho, o idoso ou a pessoa de terceira idade (já disse em outros artigos a diferença destas qualificações), precisa que com carinho, e até onde ele possa compreender saber de sua própria realidade, como que ele não pode mais subir em cadeiras, nem se despendurar em janelas, tão pouco correr na rua, ou fazer viagens sozinho. Ou seja, precisa saber os seus limites.
  • Não trate o seu idoso próximo (pai, mãe)  como se fosse criança. Ele é um adulto, pode ter suas deficiências cognitivas e afetivas, mas é um adulto que precisa ser amado e respeitado.

728x90-curso-profissionalizante2

Quando o idoso ou pessoa de terceira idade precisa ser tratado?

O idoso precisa ser tratado por um psicólogo ou psiquistra quando os seus problemas de irritabilidade, depressão ou ansiedade fica fora do controle da familia. Ou quando ele não consegue mais domir bem, nem se alimentar como necessário e quando,  principalmente, ele se irrita com tudo e fica impossível estabelecer diálogos.

Quando o idoso chega nesta fase faz-se necessário PACIÊNCIA, COMPREENSÃO, CARINHO. Deve-se ao invés de criticar, dar ao idoso fortes razões para que ele se sinta AMADO, RESPEITADO, DESEJADO no ambiente do lar. Sem este comportamento por parte de familiares, não adianta tratamentos psicológicos ou psiquiátricos com remédios tarja preta. Aliás, tudo que se deve evitar são o uso descontrolado de medicamentos como anti-depressivos seguido de ansiolíticos, porque o idoso não tem mais resistência física para esta bateria de drogas.

Se o médico do seu pai ou mãe estiver lhe dando muitos psicotrópicos questione e se possivel procure uma segunda opinião ou até uma terceira.

Casos leves de problemas emocionais causados por Carência afetiva podem regredir com uma boa dose de amor e compreensão, aliado ao uso de métodos de reprogramação mental.

carenciaafetiva2. Carência afetiva, tratamentos por Reprogramação Mental.

Para adquirir – clique na foto ou aqui

Se o idoso é lúcido, capaz e detém um certo nível de cultura, adquirir um Áudio de Reprogramação mental para solucionar ou afastar a Carência afetiva através do auto-c0nhecimento é muito bom.

Sugiro aqui um Áudio-book gravado por Chris Allmeida para uso por pessoas que estão em fase crescente de Carência afetiva.

Nos casos de problemas emocionais mais graves, deve-se procurar o especialista local, mas mesmo assim o áudio book poderá ser uma ferramenta auxiliar sem contra indicações.

NOTA: este artigo foi escrito após leituras sobre o assunto na internet e pela própria vivência da autora, conversando com outras pessoas de idade mais de 70 na região em que mora.

 

Regina Celia de Souza –  07 de abri de 2016

****************************

Add a Comment